Como funciona o Oyster Card, o Bilhete Único de Londres

Ah, a terra da rainha! No ranking das maiores redes de metrôs do mundo, Londres ocupa a terceira posição. Conhecido como underground ou só tube para os londrinos, a rede conta com 270 estações divididas em 16 linhas. Além dessa gigantesca estrutura de metrô, a cidade ainda conta com trens urbanos e os famosos ônibus vermelhos de dois andares, que são uma atração turística por si só.

29282210312_322b0ea68d_k
Os ônibus de dois andares de Londres pela Westminster Bridge com o Big Ben ao fundo

Assim como a maioria das metrópoles brasileiras que possuem metrô, Londres também tem seu próprio sistema de cobrança eletrônica. Existem várias formas de comprar as passagens para viajar pelos trilhos e ônibus da cidade, a mais comum é o Oyster Card.

Se você já possuir um cartão de débito ou crédito contactless (aqueles cartões que funcionam só aproximando da maquininha de pagar), você poderá usar ele diretamente no metrô ou no ônibus. O valor da passagem é debitado automaticamente da sua conta no banco, como se estivesse fazendo uma compra em uma loja. É uma comodidade tão grande que mal posso esperar para isso chegar aqui no Brasil.

29282480482_fcc9dd2fe6_k

É muito importante salientar que a Transport for London (TFL) praticamente obriga a todos usarem uma forma eletrônica de pagamento. Seja o Oyster Card no formato de cartão, adesivo, aplicativo no celular ou cartão contactless. Se você não quiser usar um meio de pagamento eletrônico e preferir viajar pagando as viagens diretamente em dinheiro, você poderá ser cobrado mais que o dobro da tarifa do que pagaria se usasse um meio eletrônico. Nos ônibus, você terá sua viagem negada pelo motorista se tentar pagar em dinheiro.

O Oyster Card funciona quase da mesma forma que o Bilhete Único em São Paulo ou o Rio Card no Rio de Janeiro. Você carrega ele com créditos e já pode usar o sistema de metrôs.

Para conseguir o Oyster Card, você pode ir a uma máquina de autoatendimento e comprar um. Nas vezes que eu fui à cidade, comprei o cartão já na estação Heathrow Central que fica dentro do aeroporto Heathrow (LHR), em Longford.

Na hora de pagar pelo Oyster Card, você terá várias opções de tarifas a serem pagas. O metrô de Londres é dividido em zonas de 1 a 6 que você pode ver no mapa a seguir:

tube-map.gif

Para cada zona, existe uma tarifação diferente. Quando você embarcar em um metrô na cidade, deverá encostar o seu Oyster Card nos leitores da entrada da estação. Da mesma forma (e muito mais importante) você também deverá encostar o cartão na saída. Em Londres, a tarifa é cobrada de acordo com a sua origem e destino. Por exemplo: se você vai embarcar no Aeroporto de Heathrow e descer em Oxford Circus para visitar os pubs mais agitados da cidade, você pagará uma tarifa £5.10 nos horários de pico (segunda a sexta das 6h30 às 9h30) ou £3.10 nos outros horários. Agora, para sair de Oxford Circus e ir visitar o Big Ben em Westminster, você pagará £2.40.

Portanto, antes de comprar o cartão, dê uma olhada no seu roteiro de viagem e confira dentro de quais zonas você irá utilizar mais seu cartão. Normalmente, a maioria dos turistas acabam ficando dentro das zonas 1 e 2 da cidade, que é onde estão os principais pontos turísticos.

Se você for ficar mais que 3 dias na cidade, vale muito a pena comprar o Oyster TravelCard de 7 dias. Ele sai por £34.10 para todas as estações das zonas 1 e 2 e permite que você use o quanto quiser dentro dessas duas zonas. Se ocasionalmente você sair dessa zona, a tarifa excedente será descontada do seu cartão.

Abaixo, fiz uma tabela com os principais pontos turísticos da cidade que ficam dentro das zonas 1 e 2. Assim dá pra ter uma noção do custo-benefício da compra do Oyster Card. As estações mencionadas são só uma referência básica. Como Londres tem muitas estações próximas, pode ser que uma ou outra atração seja mais acessível por outro lugar. Também há a possibilidade de ir a pé à maioria dos lugares.

Westminster Station (Circle ou District Line)
Big Ben
Parlamento Inglês
Abadia de Westminster
London Eye

London Bridge Station (Jubilee ou Northern Line)
Ponte de Londres e Torre de Londres
The View from The Shard

Queens Way Station (Central Line)
Palácio de Kensington

St. James’s Park (Circle ou District Line)
Buckingham Palace

South Kensington (Circle ou District Line)
The British Museum
Science Museum
Natural Art Museum
Museu Victoria e Albert

Marble Arch (Central Line)
Hyde Park

Picadilly Circus (Bakerloo ou Picadilly Line)
Picadilly Circus

Charing Cross (Bakerloo ou Northern Line)
Trafalgar Square
National Gallery

St. Pauls (Central Line)
Catedral St. Pauls

Convent Garden (Picadilly Line)
Jubilee Market
London Transport Museum
Royal Opera House

Pimlico (Victoria Line)
Tate Britain e Tate Modern

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s